Quais são os benefícios do capacity planning para startups?

Por
Tempo de Leitura: 3 minutos

A grande sacada das startups é a atenção às mudanças de mercado e dos consumidores, desenvolvendo soluções responsáveis inclusive por gerar novas demandas.

Mas além de pensar em seus produtos e soluções para o mercado, é preciso alinhar projetos e equipes para promover a organização interna e a máxima eficiência da empresa. 

Por isso, confira a seguir como funciona o capacity planning,  método de gestão empresarial, e os benefícios que ele oferece.

O que é capacity planning?

A produtividade de um negócio precisa andar de mãos dadas com processos e recursos, e é esse casamento que se faz pelo modelo de gestão do capacity planning

O fluxo é simples: gerir uma empresa por suas estratégias e suas práticas é analisar a capacidade de entrega de projetos atuais e futuros, levando em conta recursos (financeiros e humanos), equipamentos e outros materiais necessários.

Planejar a capacidade de entrega de empresas evita a sobrecarga dos colaboradores. (Fonte: Yan Krukov/Pexels/Reprodução)

Quando surge a demanda de um novo projeto, é necessário ter clareza de como as equipes e os recursos estão alocados, a fim de evitar atrasos ou sobrecargas. Portanto, as características principais associadas ao capacity planning são:

  • organização;
  • produtividade;
  • eficiência.

Em startups com pessoal concentrado, a organização é mais clara, mas como funciona o processo com setores e equipes grandes?

Visualização de dados para tomar decisões

O uso de dados pode ser a saída das situações em que há muitos recursos envolvidos na gestão dos projetos e das demandas de um negócio.

A coleta de informações é um dos passos mais importantes do capacity planning, pois com ela é possível estimar qual é a capacidade do negócio. Planilhas e ferramentas de gestão de equipes contribuem para o processo, conferindo dados como:

  • tempo de execução para tarefas e refações;
  • total de horas alocadas para cada tipo de entrega;
  • produtividade de diferentes colaboradores.

O desafio que fica é organizar todos os dados para uma rápida visualização e tomada de decisões, o que pode ser suprido com a criação de mapas de capacidade.

Mapeamento de informações

Antes de conhecer a capacidade de entrega para projetos, é preciso entender qual é a demanda de cada nova atividade. O mapeamento de todas as informações coletadas colabora para que seja possível identificar as possibilidades de alocar time e recursos.

Visualize o potencial de entrega de novos projetos de sua equipe com o mapa de capacidade. (Fonte: Chris Liverani/Unsplash/Reprodução)

Como mudanças operacionais podem ocorrer com frequência, principalmente ao se pensar em gestão de equipe, usar ferramentas automatizadas é ideal para criar mapas.

Vantagens para startups

Visualizar o potencial do negócio é primordial, especialmente diante de fortes concorrentes e novas demandas de mercado. Outros benefícios do capacity planning para startups são:

  • redução de gastos;
  • aumento da produtividade e do engajamento dos times;
  • identificação de pontos de melhoria em habilidades coletivas;
  • organização mais clara do negócio como um todo, garantindo processos mais bem estruturados.

Planejamento de demandas atuais e projeção de projetos futuros ajuda startups a operar com maior eficiência. (Fonte: Pexels/Reprodução)

Exemplos de aplicação na Saúde

No caso do setor de Saúde, por exemplo, a compreensão da capacidade de lotação de hospitais e centros médicos, a destinação e o uso de equipamentos, bem como o potencial de atendimento, precisam ser medidos.

Assim, é possível projetar possíveis novos investimentos e necessidades dos sistemas de saúde, e as healthtechs têm papel de destaque nessa dinâmica, não somente usando o modelo de gestão para projetos próprios como também criando soluções de planejamento para o setor.

Existem três elementos específicos que podem conduzir essas soluções. Veja-os a seguir.

1. Dados

É possível fugir das tendências de mercado e colaborar para a coleta de dados de hospitais, clínicas e afins para que a estratégia de capacity planning gere informações cruciais aos negócios, como:

  • previsão da população a ser atendida;
  • oportunidades de investimentos para planos de saúde;
  • capacidade de equipe interna e de concorrentes do setor.

2. Sistemas integrados

Diferentes prestadores de serviços em Saúde — como convênios e clínicas — coletam e utilizam informações similares de formas distintas, criando uma ruptura do potencial de integração de informações para estratégias mais bem acertadas.

3. Automação

A utilização de ferramentas sem ou com pouca automação para acompanhar e atualizar o capacity planning leva a mais horas de trabalho para as análises. A oportunidade se abre para healthtechs desenvolverem plataformas focadas nas especificidades do setor e na gestão do potencial de entrega.

Atente-se, porém, para a importância de tratar e proteger informações em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), principalmente considerando o volume de dados sensíveis que são coletados na Saúde.

O capacity planning é um método que possibilita às startups a mensuração de sua própria capacidade de execução de projetos e também pode ser a base para o desenvolvimento de soluções que deem mais precisão para os projetos de seus clientes. 

Quer saber mais sobre negócios e tecnologia? Confira outros conteúdos do blog do Cubo!  

Fonte: Binario Cloud, Aevo, L.E.K. Consulting

Picture of Cubo

Cubo

Somos o Cubo Itaú, uma comunidade que, desde 2015, conecta as melhores soluções para construir grandes cases de inovação para o mercado. Ao lado de nossos idealizadores, Itaú Unibanco e Redpoint eventures, e de um seleto time de startups e corporates, conquistamos o selo de um dos mais relevantes hubs de fomento ao empreendedorismo tecnológico do mundo.

Autor