SXSW 2022: as principais palestras e tendências do festival

Por
Tempo de Leitura: 3 minutos

Você provavelmente ficou sabendo que o tão esperado South by Southwest (SXSW) Conference & Festivals voltou a movimentar a cidade de Austin, no Texas (EUA), em março. Depois do cancelamento da edição de 2020 e da realização remota em 2021, o evento chegou ao formato híbrido e inédito.

Com atividades presenciais e transmissões por streaming, o evento de 2022 celebra o retorno de um dos festivais mais relevantes do mundo e conecta criativos e líderes para uma experiência que tem como base a inovação e a tecnologia.

Uma sociedade melhor é parte das grandes temáticas do SXSW 2022

Para muitos, pode parecer óbvio dizer que para inovar é preciso transformar o mundo. Afinal, as startups estão aí todos os dias encontrando e solucionando problemas que também são parte de um quadro maior.

Esse é o caminho apontado pelas temáticas do SXSW 2022, que ajudam a conduzir conversas e experiências e são divididas em:

  1. Discovering the Undiscovered (Descobrindo o desconhecido) — aposta na inovação de ponta e na criatividade para moldar a experiência humana;
  2. Built for the Future (Construído para o futuro) — instiga a aceleração de mudanças e de políticas para construir o futuro;
  3. We’re All Connected (Estamos todos conectados) — propõe a cooperação multilateral e a transparência para encarar os desafios da incerteza no mundo;
  4. The Evolving Media Landscape (O cenário da mídia em evolução) — mostra a aceleração de novas plataformas e formatos de mídia em uma era de manipulação e desinformação;
  5. The Power of Inclusivity (O poder da inclusão) — aponta a importância da diversidade de perspectivas e experiências na criação de soluções para os desafios do mundo.

A cidade de Austin, no Texas, voltou a receber empreendedores e criativos do mundo todo para o South by Southwest 2022. (Fonte: Patricia Lim/KUT/Reprodução)

É possível mudar o mundo desafiando os limites humanos

O SXSW Conference é organizado por tracks, que são trilhas de programação do evento. Entre as mais esperadas do ano, está a nova track 2050, que debate tópicos como o desafio ao humanamente possível, com assuntos como inteligência artificial (AI), tecnologia humana e extensão radical da vida.

Também estamos de olho na track Startups, com novidades que estão impulsionando o setor a partir de temas como novas abordagens de financiamento, novas estratégias de inclusão e novos hotspots empresariais. Além dessas, outras 13 faixas discutem publicidade, mudanças climáticas, indústria tech, cultura, jogos e mais.

Confluência entre real e virtual, a diversidade e o papel dos CEOs são destaque no SXSW 2022

A essa altura, você já deve ter percebido que a edição de 2022 do maior festival de inovação do mundo está conectado à transformação do mundo e, consequentemente, às mudanças aceleradas pela pandemia.


No mundo real ou no virtual, as tendências apontadas no SXSW 2022 olham para o amanhã. (Fonte: Markus Spiske/Reprodução)

Separamos os destaques do evento em três partes para você conhecer as novidades do mercado.

Metaverso trata mais de real e virtual do que de NFTs

Se você não está por dentro da gigante do futurismo, Amy Webb é fundadora do Future Today Institute (FTI), pelo qual lançou o relatório Tech Trends Report 2022 durante o SXSW 2022. Webb dá destaque ao metaverso e aponta a conexão entre realidade e virtualidade como prioridade.

“O metaverso é como um guarda-chuva de termos para todas as tecnologias que fazem a ponte entre os mundos físico e digital. Então isso inclui realidade virtual, realidade mista, realidade estendida, mas também tecnologias vestíveis, como relógios, rastreadores e, eventualmente, óculos inteligentes”, destaca a futurista.


Não se falava em outra coisa: o metaverso foi protagonista do SXSW 2022. (Fonte: Julien Tromeur/Reprodução)

Para ficar de olho em como usar esse universo, a futurista aponta três principais vertentes:

  1. espaços digitais – nestes, simula-se o mundo real em 3D para ampliar as experiências e abrir novos mercados virtuais;
  2. identidades digitais – possibilidade de uma identidade digital transitar em diferentes ambientes virtuais, aprimorando a experiência do usuário, mas também produzindo a sua fragmentação identitária;
  3. mídia sintética – ação mais imediata entre as listadas, a mídia sintética aproxima os algoritmos da produção de conteúdo digital, como é o caso da Lu do Magalu, que se tornou virtual influencer e produtora de conteúdo digital.

Pessoas e tendências não óbvias são o caminho daqui para frente

Figurinha carimbada no SXSW, Rohit Bhargava é criador da Non-Obvious Company e apresentou dez megatendências não óbvias durante o evento, destacando a importância das pessoas, pois “o que vai moldar toda conversa sobre futuro são pessoas que entendem pessoas”. 

Bhargava abordou três pontos fundamentais em sua apresentação:

  • multiplicidade — com o metaverso, as identidades serão fragmentadas, e é preciso preparar o mundo para essas multiplicidades;
  • diversidade — a ampliação do debate sobre a diversidade ganha outra perspectiva na retirada do gênero de produtos e de outros meios;
  • inclusão — a humanização e a empatia se tornam referências e estratégias para conectar pessoas e gerar novas soluções.

O futuro dos jogos e do mundo está nas mãos da diversidade

Reggie Fils-Aimé, ex-presidente da Nintendo, abordou durante uma apresentação Keynote no SXSW temáticas como o futuro dos jogos, liderança, diversidade e metaverso.

Empresas da nova geração serão o futuro, uma vez que vão aproveitar debates atuais para criar dinâmicas de jogo, tudo voltado às pessoas. Mas a diversidade ainda é um problema global dessa indústria.


Para uma boa liderança, é preciso trabalhar a escuta ativa e ter atenção à diversidade. (Fonte: Yan Krukov/Reprodução)

"Não é apenas referente a diversidade de pessoas construindo os jogos. É servir a uma diversidade de consumidores”, disse o executivo.

Esse movimento deve partir de lideranças e de chief executive officer (CEO), que precisam criar culturas mais diversas e atentas às pessoas. Para isso, a próxima geração deve aprender a:

  1. comunicar-se com excelência e atenção às particularidades das pessoas;
  2. perguntar para ouvir e entender os outros;
  3. aplicar a diversidade nas conversas e nas empresas.

O que tiramos de tudo isso? Bem, Webb talvez possa explicar melhor: "é preciso (re)perceber as coisas, pois é essa a essência da criatividade, da inovação e do empreendedorismo". Pronto para esse movimento? Fique por dentro das novidades da tecnologia com o CUBO.

Fonte: South by Southwest, Clube de Criação, Austin American Statesman, B9.

Picture of Cubo

Cubo

Somos o Cubo Itaú, uma comunidade que, desde 2015, conecta as melhores soluções para construir grandes cases de inovação para o mercado. Ao lado de nossos idealizadores, Itaú Unibanco e Redpoint eventures, e de um seleto time de startups e corporates, conquistamos o selo de um dos mais relevantes hubs de fomento ao empreendedorismo tecnológico do mundo.

Autor